2as Sem Carne

Notícias

Marcha global pelo clima 2014

Marcha global pelo clima juntou centenas de pessoas em Lisboa e o PAN esteve presente.

"O clima já mudou e nós porque esperamos", "Queremos viver" e "Stop poluição" eram alguns dos cartazes exibidos na concentração do Rossio, que acolheu também momentos musicais e cerca de 20 ciclistas que desfilaram desde a Praça Marquês de Pombal.

Paulo Magalhães disse ainda que esta deverá ser a maior mobilização em Portugal. "Hoje abrimos a porta de casa e não sabemos qual a estação do ano e durante o mesmo dia podemos ter várias estações. Isto está a tocar todas as pessoas, é uma evidência factual o que torna mais sensível as pessoas", sustentou.

O Partido pelos Animais e pela Natureza (PAN) também marcou presença na concentração.

"O tremendo impacto que este modelo de civilização está a ter sob o ambiente é lesivo para os animais e para os humanos e para todo o planeta. Todas as denúncias da atual situação e chamadas de atenção da opinião pública e sociedade civil aos governos é fundamental, neste momento, para que possa haver uma governação consciência do grave risco que as alterações climáticas constituem para toda a humanidade", disse à Lusa o presidente do PAN, Paulo Borges.

No resto do mundo

Ler Notícia JN completa

Prémio Nobel investiga relação entre consumo de carne de vaca e o cancro do cólon

Manuela de Sousa/João Martins/Carlos Oliveira/José Rui Rodrigues

RTP / 26 Out, 2013, 20:47 / atualizado em 27 Out, 2013, 10:00

 

O combate mais eficaz ao Cancro do Cólon pode ser uma realidade em breve. Um virulogista alemão que foi Nobel da Medicina há cinco anos esteve em Portugal e revelou uma investigação curiosa. A importância da carne de vaca no desenvolvimento deste tipo de carcinoma.

Produção intensiva de carne devasta ambiente, alertam ambientalistas

Lusa

09 Jan, 2014, 18:02


A produção intensiva de carne tem um impacto devastador sobre o meio ambiente, alertou hoje uma organização ambientalista, em Bruxelas, ao apresentar o seu atlas sobre o consumo de carne no mundo.

 

"A produção intensiva de carne não significa apenas fazer sofrer os animais. Destrói o ambiente e consome uma grande quantidade de matérias-primas que importamos do sul para alimentar" os animais, denunciou em comunicado Barbara Unmüssig, presidente da Fundação Heinrich Böll, uma organização não-governamental (ONG) próxima dos Verdes alemães, associada à publicação deste atlas.

De acordo com a Friends of The Earth (Amigos da Terra), são necessários 15.500 litros de água para produzir um quilo de carne bovina. Com a mesma quantidade de água, é possível produzir 12 quilos de trigo ou 118 quilos de cenouras.

"De cada vez que nós comemos, fazemos uma escolha política com um impacto sobre a vida das pessoas no mundo, sobre o ambiente, sobre a biodiversidade e sobre o clima", sublinhou Adrian Bebb, responsável da ONG, numa conferência de imprensa em Bruxelas.

O consumo de carne, já demasiado elevada, na opinião da Friends of The Earth, não para de crescer nos países com economias emergentes, como é o caso da China.

Atualmente, mais de 40% da produção anual de trigo, centeio, aveia e milho é usada para alimentação animal. Um terço dos 14 milhões de hectares de terras cultivadas do mundo é usado para alimentar o gado.

A produção, cada vez mais gigantesca, de carne beneficia principalmente grandes empresas de alimentos, como a brasileira JBS ou as norte-americanas TysonFoods e Cargill, em detrimento dos pequenos agricultores, que estão a desaparecer, segundo a associação ambientalista.

No seu atlas, a organização aponta também o uso de antibióticos e hormonas em animais destinados à alimentação humana, a utilização de organismos geneticamente modificados (OGM) para alimentar os animais ou a perda de biodiversidade, enquanto aumentam espécies estandardizadas e mais lucrativas.

Para a Friends of The Earth, as soluções existem: além de uma mudança nos hábitos alimentares, a associação apela à Comissão Europeia para que seja ambiciosa na sua comunicação sobre alimentação sustentável, prevista para a primavera.




Não ponha a saúde dos seus filhos em risco

Como muitos pais constatam, a maioria das crianças adoram (e consomem) carne vermelha, seja em hambúrgueres, seja em bifes ou em almôndegas. Se cruzarmos este facto com os resultados do estudo norte-americano, a situação é preocupante. Foi exatamente por isso que decidi abordar este tema hoje.

Você tem de cozinhar todos os dias para as suas crianças e já não sabe mais como variar nos pratos, sobretudo no que toca a comida saudável e, ainda mais agora, sem recorrer à carne vermelha. Ao mesmo tempo, as crianças têm de gostar do que lhes é servido para que comam. Isto tem sido um problema para si? Calma, não desespere. Conheça alguns truques para levar as crianças a comer o que é mais saudável e até a quererem repetir.



Ler mais: http://expresso.sapo.pt/como-por-as-criancas-a-gostar-de-legumes-e-banir-a-mortal-carne-vermelha=f711998#ixzz1ry2Qg7WF

Dia da Terra - Sustentabilidade Precisa-se!

Dia da Terra, sustentabilidade precisa-se!

Dia da Terra: Menos carne, mais alimentos biológicos e andar a pé pelo desenvolvimento sustentável

A associação ambientalista Quercus lembra que todos podem fazer a diferença na promoção de um desenvolvimento sustentável e aconselha as pessoas a reduzir o consumo de carne, preferir os alimentos biológicos ou poupar água, entre outros.
Em comunicado, a Quercus sublinha que, passados mais de quarenta anos sobre a criação da data que assinala internacionalmente o Dia da Terra, «o caminho percorrido não tem ido no bom sentido» e não se têm feito progressos na capacidade de conhecer e respeitar os limites de sustentabilidade do planeta.
«Em Portugal, muitos dos projetos desenvolvidos nos últimos anos são insustentáveis tanto do ponto de vista financeiro como, sobretudo, do ambiental: entre inúmeros maus exemplos, avultam a construção de estradas atravessando áreas ecológicas sensíveis e que estimula o uso do automóvel com a consequente poluição», diz a organização.

Diário Digital / Lusa

Entrevistas

 
 
Está em... Home Media e Comunicados